24Horas Saúde

Casos e mortes por Aids caem mais de 30% em SP, na última década

Balanço do Programa Estadual de DST/Aids mostra redução nas taxas de infecção e mortalidade pela doença entre 2008 e 2017

A taxa de incidência de Aids no Estado de São Paulo teve queda de 31,3% na última década. É o que aponta o Balanço do Programa Estadual de DST/Aids de São Paulo. Em 2017, a taxa foi de 14,9 casos por 100 mil habitantes, contra 21,7 casos dez anos atrás. Em números absolutos, foram 8.763 casos em 2008, e 6.505 casos em 2017.

A queda da taxa da mortalidade pela doença foi ainda mais expressiva – 39,3% -, principalmente devido ao acesso a tratamento antirretroviral (ARV). Em 2017, foi de 4,8 óbitos por 100 mil habitantes, com um total de 2.146 mortes, em números absolutos. Dez anos atrás, a taxa foi de 7,9 óbitos por 100 mil habitantes, com um total de 3.227 mortes. Ainda assim, no ano passado, 6 pessoas morreram diariamente por Aids em SP, no último ano.

Além disso, pela primeira vez na década, o número de novos casos de HIV apresenta declínio, caindo de 9.185 casos em 2016 para 8.536, no ano passado – queda de 8%. No sexo masculino, a taxa de detecção diminuiu de 42 para 39,1 novas infecções por 100 mil habitantes nos dois últimos anos e, entre mulheres, de 10,1 para 8,9 infecções por 100 mil habitantes. Os dados são preliminares e estão sujeitos a alterações.

“É importante ressaltar que estar infectado pelo HIV não significa ter Aids. Hoje em dia, uma pessoa com HIV que tem acesso ao teste e ao tratamento em tempo oportuno, não irá evoluir para a doença”, afirma o coordenador do Programa Estadual de DST/Aids, Artur Kalichman.

Embora os casos de Aids estejam diminuindo, nessa década, o número de casos novos notificados pelo HIV (vírus da imunodeficiência humana, causador da Aids)  cresceu 3,5 vezes entre homens jovens que fazem sexo com homens em SP. A cada 100 mil homens, o salto foi de de 17,8 em 2008 para 39,1 em 2017, sendo que a  maior concentração é entre jovens de 20 a 24 anos, com 88,3 novas infecções por 100 mil habitantes, no ano passado.

“É importante ampliar as estratégias de prevenção para que os jovens adotem práticas sexuais mais seguras, e incentivar a testagem para que esta população tenha acesso ao tratamento em tempo oportuno”, avalia Rosa de Alencar Rosa, coordenadora adjunta do Programa Estadual DST/Aids-SP.

Já entre as mulheres, houve queda de 9,3 novos casos de HIV para 8,9 por 100 mil habitantes, na década. A predominância é na faixa etária de 25 a 29 anos, com 13,1 casos a cada 100 mil habitantes.

Desde 1980 até o primeiro semestre de 2018, foram notificados 267.926 casos de Aids em SP. Somente nos últimos dez anos, foram 82.649 casos, com 27.562 óbitos.

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo

Comentários
Redação
Criado e desenvolvido por Dennis Moraes, o site SB24horas surgiu em 08 de janeiro de 2013. Após um tempo na cobertura de eventos, criou o portal com o objetivo de levar a informação regional ao mundo, através da web. Atualmente o portal ultrapassou a marca de 350 mil visualizações mensais. Nossa Visão Ser reconhecida pelo maior número de pessoas e se tornar referência entre os meios de comunicação da Região Metropolitana de Campinas, com o pioneirismo da TVWeb. Nossos Valores Compromisso com a verdade; Apuração dos fatos; Compromisso com a qualidade; Transparência, integridade e idoneidade; Comportamento ético; Responsabilidade com o público;
http://sb24horas.com.br