Casos de Leishmaniose aumentam na RMC

Ceva Saúde Animal possui produtos que podem ajudar na proteção dos cães contra o avanço da doença na região

Os casos de Leishmaniose Visceral Canina vêm aumentando na Região Metropolitana de Campinas. Nos últimos meses, as cidades de Valinhos, Indaiatuba e Campinas registraram casos da doença.

O município de Valinhos é um dos mais afetados, contabilizando 46 cães contaminados e outros 298 animais em investigação. A Leishmaniose é uma zoonose com grande poder endêmico. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), anualmente cerca de 2 milhões de pessoas são contaminadas com a doença. Pesquisas indicam que cada caso humano registrado equivale a 200 cães infectados.

A Leishmaniose Visceral Canina é transmitida aos cães através da picada de um flebótomo infectado. Um cão positivo para leishmaniose serve como reservatório para o vetor, aumentando assim o risco de transmissão da doença para os humanos.

A contaminação é silenciosa, os animais infectados podem demorar até dois anos para manifestar os sintomas da doença. “Os cães contaminados costumam apresentar problemas dermatológicos como alopecias, úlceras, descamações, feridas de difícil cicatrização e hiperqueratose principalmente no focinho, ao redor dos olhos e nas orelhas. É comum também a presença de onicogrifose, que é o crescimento anormal das unhas”, explica a Médica Veterinária e Gerente de Produtos da Unidade PET da Ceva Brasil, Priscila Brabec.

Além das manifestações visíveis, a doença pode gerar uma série de complicações e dependendo da cão e evolução do quadro clínico, pode levar o animal ao óbito. Por apresentar sinais clínicos inespecíficos para confirmação do diagnóstico é necessária a realização de testes sorológicos e parasitológicos.

Para ajudar na prevenção da Leishmaniose Visceral Canina, a Ceva Saúde Animal desenvolveu o Vectra 3D, com uma formulação inovadora que associa três princípios ativos (Dinotefuran, Permetrina e Piriproxifen). O produto repele e mata os mosquitos, reduzindo as chances de transmissão da Leishmaniose. Além disso, também oferece proteção contra pulgas e carrapatos.

O Vectra 3D é um produto tópico, que fica na superfície da pele e dos pelos, começa a agir a partir de 1 hora após a aplicação e protege o cão durante quatro semanas.

 “A tecnologia da pipeta smart auxilia na aplicação line- on em que o produto é aplicado continuamente da ponta da cauda até o pescoço.  Devido ao seu efeito repelente e inseticida contra mosquitos, ajuda a prevenir a leishmaniose”, comenta Brabec.

Para fornecer uma proteção completa, a Ceva Saúde Animal também desenvolveu em parceria com a Universidade Federal do Estado de Minas Gerais (UFMG), a Leish-tec, única vacina recombinante do mercado contra a zoonose.

A vacina foi desenvolvida a partir da proteína A2, classificada como um dos melhores antígenos capazes de induzir resposta imune celular porque é específica e protetora contra a leishmaniose. A Leish-tec é recomendada para cães a partir de 4 meses de idade, clinicamente sadios e sorologicamente negativos contra a Leishmaniose. A recomendação para a primo-vacinação são 3 aplicações com intervalo de 21 dias entre elas e depois reforço anual com uma dose a contar da primeira dose da primo-vacinação.

Sobre a Ceva Saúde Animal

A Ceva Saúde Animal é uma das cinco maiores empresas de saúde animal do mundo, presente em mais de 110 países tem sua atuação focada na pesquisa, desenvolvimento, produção e comercialização de produtos farmacêuticos e biológicos para animais de companhia, e produção (bovinos, suínos e aves). Mais informações disponíveis no site: www.ceva.com.br