Câmara promove debate sobre a inserção das mulheres nos espaços de poder

A Câmara barbarense sediou, nesta quinta-feira (9), um debate com a participação da vereadora Germina Dottori (PV), da delegada Olívia Fonseca e da psicóloga e professora universitária Dagmar Castro. Com o tema “A Inserção da Mulher nos Espaços de Poder”, as debatedoras apresentaram as desigualdades de gênero existentes em diferentes áreas e a dificuldade enfrentada pelas mulheres para obterem espaço em cargos de liderança.

Única mulher entre os 19 vereadores da atual legislatura, depois de oito anos sem representação feminina na Câmara barbarense, Germina Dottori falou sobre a discrepância existente na política. Na Câmara Federal, por exemplo, as mulheres ocupam 10,7% das cadeiras, enquanto a população feminina brasileira é superior a 50%. A professora Dagmar Castro também ressaltou que a situação da Câmara de Santa Bárbara d’Oeste serve de retrato do que ocorre nos mais de 5 mil municípios brasileiros. “Existe esse dado concreto, que a gente tem que começar a trabalhar. Estamos precisando de mudanças estruturais nas relações e nos processos da vida humana, no espaço das cidades”, afirmou Dagmar.

Para a professora universitária, existem processos que não facilitam a entrada da mulher na política, apesar da recente obrigatoriedade de 30% das candidaturas serem femininas. “Há relação de poder nos partidos e um teto de vidro, uma barreira que essas mulheres não conseguem passar, porque o sistema é machista”, afirmou.  Ela também lembrou da campanha promovida pelo ONU Mulheres, que em 2015 lançou uma iniciativa global  “Por um planeta 50-50 em 2030: um passo decisivo pela igualdade de gênero”. Dentre as ações do Planeta 50-50, salientam-se novas leis e o fortalecimento de direitos conquistados pelas mulheres, assim como outras ações que podem incluir a criação de programas para erradicar a violência contra mulheres e meninas, incentivando a participação das mulheres na tomada de decisão, investir em planos de ação nacionais ou políticas para a igualdade de gênero, criando campanhas de educação pública para promover a igualdade.

Ainda na apresentação desta tarde, que contou com a participação de servidoras e de munícipes, a delegada Olívia Fonseca, que atua na DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) de Santa Bárbara d’Oeste, falou sobre sua carreira e a respeito das dificuldades enfrentadas por ela e por outras mulheres em funções de chefia, as quais são obrigadas a provar sua competência diariamente, sendo constantemente testadas e, em muitas situações, desqualificadas pelo fato de serem do sexo feminino. Ela também destacou que, mesmo em situações em que mulheres são promovidas a postos elevados, nem sempre essa escolha se dá para capacidade da profissional, mas pela simples adequação de determinado gestor que primeiro decide que precisa promover uma mulher, para depois escolher um nome.

Comentários