Após Réveillon, garis retiram 290 toneladas de lixo da Praia de Copacabana

Festa na Praia de Copacabana reuniu 2,4 milhões de pessoas. Tânia Rêgo/Agência Brasil

A festa de réveillon na Praia de Copacabana deixou mais de 285 toneladas de lixo, recolhidas por 3 mil garis que se revezaram em uma operação que começou ontem (31) e terminou hoje (1º) antes das 10h, segundo a Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb). O volume é um pouco menor que o do ano passado, quando 290 toneladas de lixo foram retiradas do local após o evento.

Para a festa da virada, que reuniu 2,4 milhões de pessoas, foram colocados cerca de 700 contêineres extras em Copacabana, facilitando o depósito de lixo. Segundo a Comlurb, essas lixeiras ajudaram a reduzir o descarte de grandes volumes nas ruas, como embalagens de gelo e de cerveja, que costumam ser encontradas ao amanhecer na Avenida Atlântica após grandes eventos.

 

Em toda a orla da cidade do Rio de Janeiro, foram retiradas das praias 653 toneladas de lixo esta manhã, 100 toneladas a mais que em 2017. A praia carioca com maior aumento da quantidade de lixo foi a da Bica, na Ilha do Governador, na zona norte, que recebeu shows na madrugada.

Fiscalização

Para manter as praias limpas, equipes da prefeitura estão espalhadas pela orla para multar quem descartar lixo fora do local apropriado. Na temporada de verão, banhistas acabam deixando nas areias e no calçadão latas de cerveja, bitucas de cigarro e muitas garrafas PET. A multa para esse tipo de infração é de pelo menos R$ 170 e é aplicada por equipes do programa Lixo Zero.

Antes da virada, como forma de chamar atenção, a Comlurb aplicou 38 multas de até R$ 200 reais em Copacabana para quem descartou lixo no chão. Apesar das autuações, o presidente da Comlurb, Rubens Teixeira, avalia que as pessoas estão mais conscientes e até levam o lixo para descartar em casa quando não encontram lixeiras. “Houve uma percepção da equipe que, realmente, houve uma redução, geral, no volume de lixo”.

A fiscalização de hoje será feita na orla e também no Terreirão do Samba, no centro, onde o tradicional bloco de carnaval Cordão da Bola Preta comemora seus 100 anos de fundação.

Da Agência Brasil

Comentários