Ao som de Chitãozinho & Xororó e Bruno & Marrone, Americana conhece os campeões das modalidades esportivas e diz adeus à 31ª edição

A Grande Final!

 

O domingo em Americana teve gosto de saudade! A Festa do Peão se despediu da 31ª edição conhecendo os vencedores das modalidades esportivas e recebendo no palco o Projeto Clássico, com Chitãozinho & Xororó e Bruno & Marrone.

 

Com o Parque de Eventos CCA completamente lotado no ‘Domingo da Família’, uma parceria de 10 anos com Supermercado São Vicente, Americana deu boas-vindas ao público em clima de festa.

 

As atividades na arena iniciaram com as semifinais do cutiano, modalidade praticada somente no Brasil e responsável pela popularização do esporte no país. Modão tocando e 15 atletas na disputa por uma das 10 vagas da final.

 

Montado no animal ‘Lembrança’, Ari Piovezan Júnior, de Piracicaba (SP), recebeu a melhor nota: 86,25 e soma de 173,25. Encostado, Edvaldo Antônio Filho e o animal ‘Petrovinia’, que juntos tiveram 85,50 pontos e somatória de 170,25. A terceira colocação ficou com Adriano Batista Parreira no ‘Comentário”, com 84,75 pontos e total de 169,75.

 

Na final, Ari Piovezan confirmou o favoritismo e no ‘Modelo’ deu um show. Nota 85,50 e 258,75 na somatória, recebendo a fivela da Festa do Peão de Americana.

 

O melhor animal do cutiano foi ‘Fera Goiana’, com média de 45,25. O título de melhor tropa ficou para Tito Cardoso, com 42,93 de média.

 

Ranking da 17 ª etapa da Copa Panther Rozeta Cutiano

1)    Ari Piovezan Junior 258,75

2)    Edvaldo Antonio Filho 257,50

3)    Paulo Henrique Baesso 253,00

4)    Eliomar Pereira 252,75

5)    Antonio Custódio 252,75

 

Pela última vez em 2017, o carro de boi levando Nossa Senhora, padroeira do evento, desfilou na arena sagrada. A corte formada pela rainha Cleyciane Roberta Silva, primeira princesa Vanessa Peres e, segunda princesa Layane Dalben, também se despediu do público.

 

Locutor oficial do rodeio há 29, Jorge Moisés, visivelmente emocionado, deu início as festividades. Ao som de ‘Ave Maria’, lindamente interpretada pelo tenor Cezar Camargo, as competidoras dos três tambores fizeram a tradicional entrada, seguidas pelas amazonas que levavam os pavilhões do Brasil, estado de São Paulo, cidade de Americana e da Festa do Peão. “Hoje chegamos ao último dia de festa e, para mim, é uma felicidade muito grande receber cada um aqui nesta festa maravilhosa. Que Deus e Nossa Senhora abençoem todos vocês”, disse o presidente do Clube dos Cavaleiros Beto Lahr.

 

Nos três tambores, o nome em Americana foi dela, Kelly Caroline Pereira da Silva. Campeã no primeiro final de semana, deixou seu nome na história da festa pela conquista de duas fivelas em uma mesma edição. Montando no animal ‘Manu Ta Fame ZD’, marcou 17,288, somando 51.645.

O ranking da competição ficou assim:

1)    Kelly Caroline Pereira da Silva 51.645

2)    Rafaela Fenley Fortunato 51.762

3)    Keila Pacheco 51.949

4)    Lisandra Carvalho 52.227

5)    Nivea Reina 52.535

 

Iron Cowboy

No esporte mais radical do planeta, a noite prometia fortes emoções, afinal, com exclusividade, Americana trouxe o Iron Cowboy, modelo de competição no estilo mata-mata.

 

Na disputa pelo título, 12 atletas de alto nível e touros de tirar o fôlego. O Iron Cowboy é realizado com duas chaves onde, a cada duelo, um dos atletas é eliminado, seja por tempo de parada ou nota.

 

João Augusto Cezere, de 22 anos, conhecido como o ‘Super Man’, precisou de quatro montarias para levar o título, a fivela e R$ 50 mil. Da cidade de São Miguel Arcanjo (SP), encontrou na final, nada mais nada menos que ‘Bipolar’, um dos animais mais difíceis de todos os tempos. Com uma das montarias mais perfeitas sobre este animal, João Augusto permaneceu 6.88. “Em uma competição mata-mata a gente nunca sabe o que pode acontecer e eu já estava bem cansado após três montarias praticamente seguidas. Fique bem feliz, não apenas por competir pelo Iron, mas por montar com vários ídolos meus”, disse o atleta que está à espera do primeiro filho e compete profissionalmente há cinco anos. Esta é a primeira fivela que João Augusto conquista pela Professional Bull Riders.

 

O Iron Cowboy vale pontos preciosos no campeonato nacional e internacional.

 

No Palco

 

Após as montarias e a tradicional queima de fogos, o vice-presidente do Clube dos Cavaleiros, Pé Meneghel, convidou a dupla Matheus Minas & Leandro para uma participação mais que especial. Os artistas cantaram a música “Rota da Luz”, composição dos próprios cantores, “Esta é uma canção de fé!”, disse Minas. Emocionado, Pé Meneghel fez um breve depoimento de milagre e contou sobre um problema nas cordas vocais que quase o deixou sem voz. “O médico me disse que se em 30 dias minhas cordas vocais não se movimentassem, eu poderia perder a voz. Fiz o caminho da ‘Rota da Luz’ e um milagre aconteceu”,  disse o vice-presidente. O caminho feito por peregrinos até o Santuário de Nossa Senhora Aparecida tem a benção do Papa Francisco e soma 201quilômetros, sendo seu inicio na cidade de Mogi das Cruzes, passando por nove municípios.

  

Um clássico para toda a família

 

O palco de Americana foi também cenário de um encontro de peso. O Projeto Clássico fechou a temporada de 2017 com show que reúne duas das maiores e mais sólidas duplas sertanejas do país, Chitãozinho & Xororó e Bruno & Marrone.

 

A turnê estreou há 4 anos e começou despretensiosamente, quando os quatro amigos dividiram o mesmo palco em um evento. “Por que não cantarmos juntos?”, questionou Bruno dias antes desta apresentação, e então eles resolveram fazer um só espetáculo. Duas bandas, duas duplas com inúmeras histórias e uma coleção de sucessos no repertório na ponta da língua de diferentes gerações. A ideia deu tão certo que desde então eles têm se fortalecido e já gravaram o primeiro DVD, em São Paulo. Agora seguem em turnê pelo Brasil.

 

Pontualmente às 22h começou o espetáculo. O público esperava ansiosamente pelos quatro juntos no palco de Americana pela primeira vez. Celulares acesos e eis que surgem os quatro ícones cantando em uma só voz o sucesso ‘Página de Amigos’.  As duas duplas se revezaram e Bruno ao lado de seu parceiro Marrone deu sequência à festa interpretando ‘Agora Vai’, ‘Te Amar Foi Ilusão’, ‘Inevitável’ e ‘Enquanto Eu Brindo Cê Chora’. Logo chamaram os irmãos Chitãozinho & Xororó que animaram Americana com hits como ‘Pura Emoção’, ‘Deixei De Ser Cowboy Por Ela’ e ‘Alô’.

 

Chitãozinho & Xororó receberam mais de três minutos de aplausos após cantarem ‘Se Deus Me Ouvisse’ e brincaram com o público durante ‘Galopeira’ quando Bruno entrou e continuou com sua potente voz. As duplas não pouparam clássicos! ‘Evidências’, ‘Fio de Cabelo’, ‘Rancho Fundo’ e ‘Brincar de Ser Feliz’ foram outras interpretadas. O repertório de Bruno & Marrone também estava recheado de sucessos. Cantaram hits como ‘Dormi na Praça’, ‘Choram as Rosas’, ‘Por um Minuto’. Neste momento, a plateia foi ao delírio e aplaudiu fervorosamente por minutos. ‘Isso Cê Num Conta’ e ‘Ligação Urbana’ também compuseram o setlist.

 

A próxima edição da Festa do peão de Americana já tem data para acontecer: de 8 a 17 de junho de 2018, as melhores provas e shows de rodeio do pais estarão aguardando o público mais animado do pais.Americana, mais forte do que nunca!

 

Balanço

Com público estimado de 300 mil pessoas em sete dias de festa, a organização da Festa do Peão de Americana comemora o forte esquema de segurança montado para esta edição.

Na arena, mais de 500 competidores disputaram a fivela entre as modalidades montaria em touro, burro, team penning, cutiano e três tambores. A premiação superou R$ 200 mil.

No palco principal se apresentaram 16 artistas. Nos outros quatro palcos, mais de 20 atrações, dentre elas, Jefferson Moraes, vencedor do quadro ‘Iluminados’, da TV Globo.

De espetinho a tapioca, passando por churros e milho verde, os mais de 60 pontos de comércio de bebida e comida atenderam a todos os gostos. O lixo produzido pelo público teve destinação correta. Foram reciclados 40% das mais de 30 toneladas, reafirmando o compromisso da Festa do Peão de Americana com a responsabilidade social e ambiental.

Para realizar um espetáculo de porte internacional, Americana gerou cinco mil empregos diretos e 15 mil indiretos, movimentando a economia local e regional.

 

Foto: Alberto Gonzaga

Comentários