Alunos de escola americanense vencem competição nos EUA com projeto de empreendedorismo socioambiental


Graças ao trabalho em equipe, adolescentes de uma escola de Americana (SP) venceram o FLL World Festival, realizado nos Estados Unidos, com um projeto que busca diminuir as perdas de alimentos em empresas. Os alunos do Sesi da cidade foram homenageados, na última terça-feira (23), pelo presidente da entidade estadual, Paulo Skaf, juntamente com outros 48 estudantes premiados em competições internacionais de robótica, neste ano.

A equipe Red Rabbit é formada por Ana Yukari, Bianca Araujo, Gabriel Barbosa, Giovanna Veridiano, Luis Filipe Nascimento, Mateus Paracampos, Murilo Oliveira e Vinicius Casimiro, que têm entre 13 e 16 anos. Ainda integram o time americanense o técnico Denis Rodrigo Santana e a mentora Juliana Rached.

Skaf homenageou cada equipe com uma placa e elogiou os esforços dos 56 alunos e de seus docentes. “Os resultados foram fantásticos. Quero parabenizar os estudantes e seus professores por se firmarem entre as melhores equipes de robótica do mundo”, afirmou o presidente do Sesi-SP, também ressaltando a rápida evolução dos times da entidade, que iniciou o programa há sete anos.

Durante a competição, que aconteceu em St. Louis, o projeto da Red Rabbit ficou entre os nove primeiros e liderou no quesito Trabalho em Equipe. Participaram 110 times, de diversos países.

Além do reconhecimento intercional e do estado, os empreendedores socioambientais do Sesi-Americana receberam a medalha de mérito “Princesa Tecelã”, entregue em junho pela Câmara Municipal.

Precursora do empreendedorismo socioambiental no interior do Estado de São Paulo, a educadora Ana Lúcia Maestrello parabenizou os adolescentes pela ideia inovadora e ecológica que desenvolveram muito bem em conjunto. “O desperdício de alimentos nas empresas, em geral, é muito grande. O projeto deles, por solucionar essa problemática com uma tecnologia sustentável, merece todas as premiações possíveis, ainda mais por servir de referência como trabalho em equipe – uma das características do empreendedor socioambiental”, enfatizou a consultora, que colabora com o Programa de Jovens – Meio Ambiente e Integração Social (PJ-MAIS) de Tupi, cuja metodologia também promove o ecoprofissionalismo.

 

 

Assessoria – Juan Piva

Comentários