40% dos homens terão perda de cabelo visível aos 35 anos

Entre os tratamentos para evitar a calvície estão as infiltrações com medicamentos com microagulhas francesas

 

O portal de pesquisa norte-americano, Statistic Brain, alerta que mais de 800 mil pessoas por ano no mundo buscam tratamento médico contra a calvície. Só nos Estados Unidos, o problema atinge 35 milhões de homens (40% da população masculina estadunidense) e 21 milhões de mulheres. A perda de fios afeta fortemente a autoestima das pessoas, mas a boa notícia é que existem tratamentos eficientes para isso.

 

Uma técnica recente está fazendo sucesso para coibir a calvície em ambos os sexos. Trata-se das infiltrações capilares, aplicadas por microagulhas francesas, e que garantem uma maior eficácia do que os remédios prescritos por via oral. Um dos pioneiros em utilizar a técnica no Brasil é o médico cirurgião Dr. Thiago Bianco, com clínica em Alphaville, na região metropolitana de São Paulo, especialista em saúde dos cabelos e transplantes capilares.

 

“As infiltrações são aplicadas diretamente na região dos bulbos capilares. Injetamos medicamentos como o minoxidil, que é um vaso dilatador, além da Biotina e do D-pantenol e, em alguns casos, a finasterida. A técnica ajuda no fortalecimento, pode diminuir a queda e proporcionar um espessamento dos fios acometidos”, comenta o médico.

 

Um estudo divulgado no site Health Harvard, da Harvard Medical School, universidade estadunidense, confirma que 2% da solução de minoxidil, aplicado diretamente no couro cabeludo, pode estimular o crescimento dos fios. Mulheres com idade entre 18 e 45 anos participaram do estudo e comprovaram a eficiência do tratamento. Após a aplicação 60% relataram o crescimento de novos cabelos.

 

Bianco ainda explica que são necessárias algumas sessões, porém, a partir da terceira aplicação já é possível notar o controle da queda e uma melhora substancial na estrutura do fio. Para aqueles que “morrem” de medo de agulhas, a técnica é indolor, já que é aplicada com microagulhas com anestésicos locais.

 

“Normalmente os pacientes tratados desta forma apresentam uma melhora considerável do quadro de queda no período de quatro a seis meses de utilização. Quando a pessoa está sofrendo uma queda capilar muito agressiva, associamos também um tratamento domiciliar”, conclui o médico.

 

Comentários